Audi Sport

Com o encerramento do programa de endurance da Audi, além de uma mudança de foco para os carros elétricos, vamos relembrar os 15 carros mais icônicos da marca de Ingolstadt no automobilismo.

Audi R8R (R8)

Em 1997, a Audi Sport pensava em se retirar do automobilismo, a tarefa de Wolfgang Ulrich na época era mostrar que a marca ainda podia chegar mais longe. Com uma mãozinha de Ferdinand Piëch e aproveitando que a equipe de Reinhold Jost estava procurando uma nova marca para se associar depois da separação da Porsche, iniciaram o programa de resistência. Aproveitando o know-how de um projeto já existente da Porsche, o 9R3, que foi abortado e em contrapartida, a Audi passou o know-how do sistema quattro para a Porsche desenvolver um SUV.
Continuar lendo Audi Sport

Fórmula 1

Em 62 anos, a F1 se estabeleceu como o ápice do automobilismo e nesse tempo, muitos carros se destacaram tanto por inovações tecnológicas quanto por serem bem eleborados. Temos aqui 15 carros que marcaram a F1 ao longo dos anos.

Ferrari 312T
Mauro Forghieri criou um modelo simples, limpo e que poderia evoluir mecanicamente de acordo com o regulamento e inovações futuras. O 312T entrou em ação em 1975 e se mostrou um carro competitivo até 1980, onde não era páreo para os turbos e os carro-asa. Nesse período, angariou 4 títulos de construtores (1975, 1976, 1977 e 1979) e 3 de pilotos (1975 e 1977 com Lauda e 1979 com Scheckter).

Continuar lendo Fórmula 1

Caminhões Militares

Embora tudo isso tenha começado com um blog sobre veículos 4×4 e militares há uns 4 anos atrás, temos aqui uma lista de 15 caminhões militares. Qual a diferença? Bem, são maiores, carregam mais tralha (2,5t contra 1/4t), motores multicombustível (alguns aceitam desde combustível de avião até óleo de fritura!) e tem um eixo motriz a mais…hehehehehe.

ENGESA EE-25
O caminhão militar EE-25 foi um dos produtos mais populares, exceto os blindados da ENGESA. sendo usado pelo Exército Brasileiro e exportado para países da África e Oriente Médio. Vinha com uma gama de motores diesel, desde Chrysler, Perkins, até os Mercedes-Benz. Inicialmente era 4×4, mas foi transformado em 6×6 com suspensão boomerang.

Continuar lendo Caminhões Militares

GTs

Porsche-Abarth 356 Carrera GTL
O 356 Carrera já era legal por ser um carro pequeno, leve e ágil. Encarava carros maiores sem pensar duas vezes, o GTL era mais leve e aerodinâmico. A Abarth fez um trabalho perfeito com a carroceria, que casou certinho com o motor Carrera. Vitórias na Targa Florio, 24 horas de Le Mans, 1000 km de Nürburgring, 12 horas de Sebring e Daytona!


SIMCA-Abarth 2000
A versão 2 litros dos SIMCA-Abarth 1300 teve um sucesso modesto na Europa, mas no Brasil participou do período mais clássico das competições. A Willys-Overland trouxe e nacionalizou o Renault-Alpine A108, como Willys Interlagos. Mas acabou importando uns Alpine A110, com isso, a VEMAG já contava e dava chancela oficial aos Malzoni da Lumimari (futuro Puma DKW), a SIMCA pra não ficar atrás, trouxe três Abarth 2000, mas por problemas com a Alfândega, os carros só puderam ficar no país por um ano. Uma lenda urbana dizia que como os carros saíram em caráter definitivo da Itália para o Brasil, não podiam retornar ao país de origem, e por sua vez por não poderem voltar ao Brasil, teriam sido jogados no Mar Adriático. Mas na verdade, os três estão bem vivos e rodando pela Europa em corridas de clássicos.

DKW GT Malzoni
A VEMAG sofria um pouco com os Belcars, aí como a Willys decidiu nacionalizar os Alpine para correrem, surgiu o GT Malzoni. Um pequeno coupé com motor tricilíndrico 2T que graças ao Departamento de Competições da VEMAG, alcançava 100HP. Os números pareciam modestos, mas se tratando de um motor dois tempos e um carro de baixo peso, era MUITO ágil e competitivo no Brasil.

Shelby Daytona Coupe
antes da disputa Ferrari x Ford, Carroll Shelby fez um devorador de Ferraris, baseado no AC Cobra, o Daytona durou pouco tempo, já que a Ford chamou Shelby pro projeto que resultou no GT40. Mas o Daytona foi o primeiro yankee a ser campeão do mundial de protótipos em 1965 (GT divisão 3)

Melkus RS 1000
Melkus era um dos principais pilotos da Cortina de Ferro, e além de fabricar protótipos e fórmula, se aventurou a fazer o mais famoso (tá, nem tanto…) esportivo da Alemanha (A Oriental). O RS1000 possuía um motor tricilíndrico semelhante ao dos DKW. Mas com preparação de corrida conseguiam 118HP e velocidade máxima de 175 km/h!!!

Ferrari 250 GT Drogo
Após o êxodo de 1961, onde boa parte dos funcionários-chave da Ferrari foram demitidos por conflito interno. O cliente mais importante, o Conde Volpi, dono da Scuderia Sereníssima queria uma atualização de uma 250 GT SWB para as especificações GTO. E pediu justamente para o pessoal da ATS (Automobili Turismo e Sport), e com isso ganhou a inimizade eterna do Commendatore. Piero Drogo e Giotto Bizzarini redesenharam o carro, seguindo os princípios aerodinâmicos de Kamm. O resultado foi batizado de carro do pão, pelo formato da traseira. Embora todos tivessem achado graça, o carro era 7 km/h mais rápido que as novas GTO oficiais em reta. A discórdia entre Volpi e Ferrari foi tamanha, que Enzo ordenou que Volpi removesse todos os emblemas das Ferraris usadas pela equipe.

Ferrari 250 LM
Em resposta a afronta veneziana, a Ferrari desenvolveu a 250 lançando a 250 LM. Enfrentou os GT40 e foi substituída pela série P

Toyota 2000GT
A Toyota tinha um bom carro, vendo futuro nas pistas com o recém chegado coupé japonês, Carroll Shelby utilizou-os no SCCA com bastante sucesso, mas os japas tiveram carreira curta, somente competindo em 1968.

Nissan S30 Fairlady Z
Após sair da Shelby, onde ajudou a desenvolver o Daytona Coupé, Peter Brock criou sua própria equipe, a BRE (Brock Racing Entreprise), e assim como seu ex-patrão, viu futuro nos japoneses, só que dessa vez, foi uma longa parceria com a Nissan correndo em várias categorias como equipe oficial deles nos EUA

Honda NSX
Inicialmente um Safety Car nas pistas japonesas, o NSX logo mudou de lado nas pistas. Embora não tenha conseguido nada mais que um terceiro lugar na GT2 em Le Mans em 1996, se achou no JGTC, onde era um dos dominantes da GT500 até 2010, onde foi substituído pelo HSV010

McLaren F1 GTR
Criado por Gordon Murray, o McLaren F1 era pra ser o melhor carro de rua de todos os tempos, sem nenhuma intenção de competir em corridas. Mas…o F1 foi criado por Gordon Murray, o cara que criou o Brabham BT52, a McLaren MP4/4. logo foi usado com muito sucesso nas pistas, inclusive vencendo Le Mans em 1995 na frente dos protótipos!!!

Ford GT40
A Ford tentou comprar a Ferrari, o velho Enzo respondeu com um sonoro NÃO! para os americanos, resultado? Uma das maiores disputas da história do Endurance.

SIMCA Tempestade
Embora pelo porte e motor concorresse com os FNM, a SIMCA estava cansada de ficar no final do grid, e resolveu fazer um carro mais leve e com comportamento mais agressivo que os velhos sedans V8. Pegando o chassi de um Maserati do piloto Cyro Cayres, moldou uma carroceria nova e instalou um V8 Aquillon, resultando no primeiro GT de corridas feito no Brasil.

Lotus Type 47
Ao tomar um sonoro não da Ferrari, a Ford decidiu combater no próprio terreno da marca italiana, reuniu seus parceiros e fez uma concorrência para um projeto de GT devorador de Ferraris, a Lotus, parceira da marca educadamente recusou, respondendo que criaria o carro mas seria batizado de Lotus-Ford. A Ford entendeu o recado e fechou com a Lola, e o resto é história. Mas o que aconteceu com o projeto de Chapman? Se tornou um dos GTs favoritos dos privados na época.

Dodge Viper GTS-R
O Viper já era bruto, um esportivo com motor de caminhão, aí a Chrysler resolve investir em competições e derrotar seu concorrente direto, o Corvette. Manda uns carros pra Europa aos cuidados da Reynard e Oreca e voilà! Ganhando tudo por onde correu, e se mantém na ativa mesmo 10 anos após da retirada da Chrysler dos GTs…e ainda competitivos!

Greatest Hits


Muitas músicas tema acabam marcando ou se tornando sinônimo de um programa. Separamos aqui alguns temas clássicos de programas sobre carros e corridas

Pros que não reconheceram:
T-Square – Truth (Transmissão Japonesa da F1)
Allmann Brothers – Jessica (Top Gear)
Deep Purple – Smoke On the Water (Bike Show)
Mike + The Mechanics – Over My Shoulders (Espaço Motor)
Fleetwood Mac – The Chain (Transmissão inglesa da F1)
Max Carl – Let ‘Em Roll (PINKS: All Out)
Steve Duberry – Short Circuit (Transmissão do WRC)

Engenheiros

A Engenharia é uma parte vital do automobilismo, se um carro vai ser dominante ou um fracasso, depende do talento não só dos caras que correm…mas dos caras que o criaram. Temos aqui 15 grandes engenheiros que fizeram história nas competições.

Fabio Taglioni
Nos 45 anos que esteve na Ducati, o maior legado de Taglioni foi o uso de válvulas desmodrômicas nos motores, solução que praticamente virou sinônimo da marca. Além de ter estabelecido a marca nas competições internacionais.

Continuar lendo Engenheiros