Republic P-47 Thunderbolt

Esse ano, mais precisamente em 6 de Maio, fazem 70 anos do primeiro vôo de um dos caças mais durões da aviação militar, o Republic P-47 Thunderbolt.


Criado pelos imigrantes soviéticos Alexander de Severinsky e Alexander Kartveli, na então Seversky Aircraft Company, começou como projeto AP-10, um caça leve movido por um V12 Allison V1710 de refrigeração líquida dotado de oito metralhadoras Browning M2 .50 (quatro em cada asa). Chamou a atenção da USAAC (United States Air Army Corps) que gostou do avião e bancou o projeto, renomeando para XP-47.

Protótipo pronto para avaliação, mas não era apto a enfrentar os caças alemães, logo passou por melhorias dando origem ao XP-47A, Kartveli criou um modelo novo, maior e totalmente diferente do XP-47A, era o XP-47B, todo em metal, exceto algumas partes de comando que eram cobertas com tecido, asas elípticas, tanques autovedantes e cockpit bastante espaçoso. A USAAC gostou e encomendou um protótipo, nisso o XP47A foi engavetado.

O modelo definitivo já impunha respeito, motor Pratt & Wittney R-2800 de 18 cilindros (duas fileiras de 9 cilindros radiais) com hélices de 4 pás sobrealimentado com um sistema complexo que fez o avião ficar mais alto a turbina ficava deslocada embaixo do cockpit. E o monstro de 2.000 HP e quase 4,5 ton voou pela primeira vez em 06/05/1941 sem problemas, impressionando o alto escalão e capaz de atingir 663 km/h a 25.800 pés de altitude e subir do nível do mar até 15.000 pés em 5 minutos!!!!

Nem tudo eram flores, e o XP-47B tinha problemas…resolvidos nas versões seguintes, P-47C: controles com superficies em metal, canopy deslizante, sistema de ignição pressurizado, e injeção de água para um boost de emergência, suporte ventral para bomba/tanque auxiliar, cabine pressurizada e nova antena de rádio. A versão D era quase a mesma coisa do P-47C, contando com blindagem melhor.

Logo ao entrar em serviço ganhou o singelo apelido de Jug (diminutivo de Juggernaut – algo como monstro destruidor) e em combate se destacava por aguentar tudo o que jogassem nele. Um exemplo lendário da robustez desse pássaro de guerra foi um dos P-47D da FAB durante a campanha na Itália, ao colidir com uma chaminé num vôo de baixa altitude, o avião perdeu metade da asa direita, e continuou seu vôo de retorno à base SEM PROBLEMAS!!!!! Se fosse um outro avião, o piloto estava em sérios apuros.

 

Deixe uma resposta