BMW 2002 tii Schnitzer “Esquife Voador”

Um esquife era uma espécie de barco auxiliar bastante usado nas Grandes Navegações, mas a palavra também significa um caixão fúnebre. No caso dessa BMW 2002 tii, esquife era um devorador de estradas.

 

Tudo começou quando um dos 2002 tii Schnitzer da CEBEM, representante BMW, sofreu um acidente que danificou bastante a carroceria. Logo cogitaram tranformar o carro em spyder, mas o plano ficou encostado por um tempo. Até que Ciro Cayres deu a mesma ideia para Agnaldo Góes Filho, baseando-se em suas experiências na SIMCA do Brasil e no Lancia Targa Florio.

O Chefe da equipe gostou da ideia, e mandou modificarem um carro 0km, mas ninguém teve coragem de cortar o teto da BMW…até que Agnaldo passa a mão na serra e dá o primeiro corte dizendo “Dei a largada, o resto é com vocês!”. Logo depois, Agnaldo e Ciro bradam felizes “Cuca de fora minha gente, vamos pegar um ventinho!!” Passada a euforia, começou o trabalho sério, reforços estruturais por toda a carroceria, recalibragem das suspensões, e outras modificações para transformá-lo em um spyder.

Mecanicamente continuava um 2002 tii Schnitzer, com motor de 205 HP, câmbio de 5 marchas com diferencial autoblocante, freios a disco na dianteira, pneus 13″x7″…Mas a dieta não deixou o carro só com cara de barco, mas o fez ficar bem veloz. Ciro chegou a marcar em testes 2’30″05 na pista antiga de Interlagos!!!!!!!!!!!!

Durante o pouco tempo que correu, entre 1968 até 1972, quando acabou destruído num acidente durante treinos no Mineirão para os 200km de Belo Horizonte, foi um carro bastante competitivo e chamativo.




 

fontes: saco de gatos, formula grun, saloma do blog, Flávio Gomes

Deixe uma resposta