Yamaha Ténéré

Durante muito tempo, um ponto azul no meio do deserto significava algum piloto com uma Yamaha no Mundial de Cross-Country. Em 1978, Cyril Neveu a bordo de uma Yamaha XT 500 vencia o Rali Oásis, e acabaria dando início a uma dinastia.

 

Em 1980, inspirada pelo sucesso das provas de Enduro, a Yamaha resolveu seguir a onda, e criar a sua. No início, alguém deu a ideia de produzirem modelos de rua que replicassem as motos de rali. A ideia não fez muito a cabeça dos chefes japoneses…mas eles resolveram em 1982, lançar a XT600Z Ténéré. Vinha com inovações pro segmento, como suspensão mono progressiva e freio a disco na dianteira. O motor era um monocilíndrico de 43 HP e máxima de 160 km/h!!!





Em 1987, com a competição ficando cada vez mais acirrada, a Sonauto solicitou melhorias na Ténéré e no ano seguinte, surgia a evolução da XT600Z, a XTZ750 Super Ténéré, e a versão mais light, a XTZ660 Ténéré. Ambas ajudaram muitos pilotos a começarem a correr em Cross-Country.


Na década de 1990, a Yamaha dominou o Dakar com nada menos que 6 vitórias 1991, 1992, 1993, 1995, 1997 e 1998 com Stéphane Peterhansel e sua XTZ850R Super Ténéré. Nesse mesmo ano, a Yamaha se retira dos ralis, depois de 19 participações e 8 vitórias. E as Ténéré continuam sendo clássicas absolutas

 

fonte: Rallye-Ténéré

Deixe uma resposta