Mulheres

Na terça feira dia 8, foi o Dia Internacional da Mulher, e aqui vai uma singela homenagem as meninas que aceleram muito e mostraram que automobilismo não é só para homens

Michèle Mouton

Ao contrário do que parece, a morena da foto é durona. Não só a primeira mulher a vencer uma etapa do WRC, assim como foi concorrente ao título de 1982 com Walter Rörhl, perdendo no final do campeonato. Fora isso, foi a primeira mulher a ganhar em Pikes Peak. Ah, e pra completar, foi a única pessoa a tirar o máximo de um Audi Quattro S1 no auge do Gr.B. Sua passagem pelo WRC rendeu algumas rivalidades no melhor estilo Senna x Prost, a primeira, ainda na FIAT, foi com Jean-Claude Andruet; A segunda foi com Walter Rörhl na Audi. Com a substituição do Grupo B pelo Grupo A pra temporada de 1987, Michèle resolve parar de competir. Ou seja, os carros ficaram menos monstruosos ( um Gr.A tinha no máximo 300 HP) e perdeu a graça pra ela.

 

Jutta Kleinschmidt

Muitos pilotos de Cross-Country almejam ganhar o Paris-Dakar. Jutta o fez e ainda venceu em cima do ex-namorado, o piloto francês Jean-Louis Schlesser, Fez parte do dream team da Mitsubishi no final da década de 1990. Ela participou nas motos entre 1988 e 1993; Em 1994, corre com Schlesser  nos carros; Em 1997 se torna a primeira mulher a vencer um estágio do Dakar; No ano seguinte termina no pódio; E em 2001 vence!

Ellen Lohr

Ellen foi a primeira mulher a correr, e vencer no DTM. Correu com gente boa e andava de igual pra igual com Keke Rosberg, Klaus Ludwig, e o resto da galera do superturismo da época. Após o final do DTM/ITC em 1996, Ellen seguiu correndo em caminhões e turismo, e desde 2004 corre no Dakar Series

Pat Moss-Carlsson

Pat odiava automobilismo, embora seu pai, sua mãe e seu irmão Stirling fossem pilotos. Ela foi integrante da equipe britânica de equitação, mas mudou de idéia após um amigo a convidar a assistir a um rally. A partir daí a vida dela tomou outros rumos. Começa a ter destaque logo no início da nova carreira e em 1963 se casa com Erik Carlsson, se tornando companheira de equipe do marido no ano seguinte. Foi vice campeã européia de ralis por duas vezes.

Hellé Nice

A primeira mulher de destaque no automobilismo, começou como dançarina e modelo. Após um acidente de esqui nos Alpes que fraturou seu joelho, Hellé Nice vê uma oportunidade, se tornar piloto de corridas. Correu com grandes nomes como Varzi, Caracciola, Rosemeyer, Chiron, etc. Em 1949, após o retorno das competições na Europa depois da Segunda Grande Guerra, a carreira de Hellé Nice chega ao fim, após Louis Chiron a acusar publicamente de ser agente da Gestapo (polícia secreta nazista). Após isso, Hellé Nice teve um final de vida deprimente, vivendo com um outro nome (seu nome real era Mariette Hélène Delange), morreu esquecida num subúrbio de Nice.

Debora Rodrigues

Debora ganhou fama como capa da Playboy brasileira após ser descoberta em um movimento agrário, após isso, e invariavelmente seguir como apresentadora de TV, acabou aceitando um convite para correr de caminhão. Ela como filha de caminhoneiro, mostrou intimidade e desde 1998 é piloto da F-Truck onde conheceu seu marido e companheiro de equipe Renato Martins.

Shirley Muldowney

Primeira mulher a pilotar um dragster Top Fuel. Shirley começou a correr cedo, seu marido criou seu primeiro hotrod, e ela seguiu nas arrancadas assim que completou 18 anos!!! Conseguiu licensa da NHRA (National Hot Rod Association) aos 25 anos e foi progredindo, Top Gas, Funny Car, Top Fuel. Isso, tendo que provar pra todos que era capaz. Shirley ficou na ativa entre 1958 a 2003!!!! só ficou mais devagar após um acidente grave na década de 1980, daí sem grandes patrocínios, passou a correr em eventos escolhidos.

Sabine Schmitz

Poderia falar do histórico dessa loira em corridas, mas vamos atentar em dois fatos: Ela nasceu num hotel da família em Nürburgring Nordschleife, e tem um bar chamado Fuchsröhre (uma das curvas de Nordschleife), fora isso ela dirige o Ring-Taxi, um BMW M5 preparado para demonstrações em Nordschleife, e corre no VLN e nas provas de longa duração européias

Ashley Force

Filha de John Force, 15 vezes campeão de arrancadas, seguiu o caminho do pai, sendo piloto de dragster. Em 2008 ela se tornou a primeira mulher a liderar a Funny Car até as finais, derrotando seu próprio pai na final. Atualmente está fora das pistas por conta de uma gravidez, enquanto isso, seu carro será pilotado por seu pai.

Vanina Ickx

Filha de Jacky, Vanina começou a correr relativamente tarde. E seguiu basicamente pelas categorias de turismo, chegando a correr com seu pai algumas vezes, como nas 24H de Spa de 1998 e uma participação no Dakar de 2000. Atualmente participa de categorias de endurance com relativo sucesso.

Suzane Carvalho

Começou como atriz e modelo, aos 25 anos realizou seu sonho de correr, começando no kart. Passou por diversas categorias nacionais e internacionais, mas sempre boicotada ou por membros da equipe ou por patrocinadores. Ficou na ativa até 2002. Atualmente tem uma escola de pilotagem.

Claudia Hürtgen

Claudia é considerada a melhor piloto alemã depois de Ellen Lohr, após um acidente na F3 mudou para turismo, onde participa de provas de longa duração como a VLN, foi bi-campeã do DTC (Deutsche Tourenwagen Challenge) em 2003 e 2004. Em 2006 foi campeão do VLN onde duelou com Sabine Schmitz

Danica Patrick

Danica foi a primeira mulher a ter destaque nos monopostos norte-americano. Embora tenha tido sucesso nas categorias de base européias, foi a primeira mulher a ser vice-campeã da F-Ford inglesa, retornou aos EUA e se firmou na Indy, onde se tornou a primeira mulher a vencer uma corrida, a Indy Japan 300 em Montegi em 2008. Atualmente corre na NASCAR e na Indy.

Lella Lombardi

Lella foi a primeira mulher a pontuar na F1, no Grande Prêmio da Espanha de 1975. Sempre correu em equipes menores, e após sair da F1, seguiu carreira nos protótipos. Chegou a correr na NASCAR em 1977.

Deixe uma resposta