Made in Japan

Geralmente quando se fala em carros japoneses se pensa em carros práticos, baratos, econômicos, etc…mas tem coisas que eles guardam apenas para o mercado interno. Temos aqui 15 carros japoneses que com opcionais JDM (Japanese Domestic Market) são muito legais

Nissan Bluebird 510
Inspirado nas BMW Neue Klasse, o Bluebird 510, ou Datsun 510, era chamado de BMW dos pobres, mas seu baixo preço e excelentes características fizeram dele um excepcional carro de corridas e como era popular, ampliou o nome da marca para novos mercados.


Nissan Violet 160J SSS
O Violet manteve a tradição japonesa de domínio em ralis africanos, entre 1977 e 1982 venceu o Rally Safari no Quênia com o piloto local Shektar Mehta. Esse recorde, só foi igualado pelo Toyota Celica GT-Four entre 1992-1995.

Nissan S30 Fairlady Z
O cartão de visitas da marca nos EUA. O Fairlady custava menos que seus rivais e mudou um pouco a idéia de que japoneses só faziam carros pequenos e econômicos.

Nissan Skyline GT-R R32
A terceira geração do Skyline fez jus ao nome. Embora a Nissan tenha cancelado o Skyline depois da crise do petróleo, Godzilla faria seu retorno em 1989. Seu motor bi-turbo L6 24v é uma das 7 maravilhas petrolhead.

Subaru Impreza STI 22B
Para comemorar o último dos três títulos mundiais de rali em sequencia (1995-1997) a Subaru lançou o 22B, que era feito com base no modelo de ralis, só que mais nervoso ainda!!

Mazda RX-7
O pequeno esportivo da Mazda trazia a característica que fez a fama da marca, motores rotativos. Bastante popular e versátil, competiu de ralis até endurance, além de ser um dos favoritos para a galera do drift.

Mitsubishi Lancer A70 1600 GSR
Entre 1974 e 1977, a Mitsubishi começava sua longa relação com ralis africanos. O até então desconhecido Lancer, ganhou o Safari nesse período além de vitórias na Austrália e na Costa do Marfim.

Mitsubishi Lancer EX 2000 Turbo
Foi onde a Mitsubishi começou a fazer seu nome em ralis. Embora as vendas fossem prejudicadas devido às leis de emissões no Japão. Foi o carro que trouxe o motor Sirius 4G63T para os ralis (que seria usado até a Mitsubishi se retirar do WRC)

Mitsubishi Lancer Evolution
Foi o ápice da Mitsubishi nos ralis, basicamente um Lancer com motor do EX 2000 Turbo e transmissão do Galant VR4. Além de ser um dos preferidos da galera tuning por causa de Velozes e Furiosos.

Toyota Celica TA22/RA25
O Celica surgiu como uma opção alternativa ao 2000GT, logo após o lançamento a Toyota fez um facelift na linha que os deixou parecidos com os Mustang (curiosamente na mesma época, a segunda geração do Skyline era bastante semelhante aos Dodge Challenger). Além de demonstrar seu poder no antigo campeonato de protótipos alemão

Toyota Celica ST165
A Quarta geração do Celica, viu o nascimento da versão definitiva, o lendário GT-Four. Criado para ralis, andava bem em pistas e fora delas.

Toyota Celica ST185
O mais famoso dos Celica, o modelo de quinta geração ganhou fama pelas conquistas nos ralis, embora tivesse potencial para mais que isso

Toyota Celica ST204
A sexta geração marcou a despedida do modelo 4×4, marcado pela expulsão da marca do WRC por utilizar uma turbina fora do regulamento (havia um sistema camuflado, que aumentava a quantidade de ar vinda do restritor). Era o mais poderoso dos Celica.

Toyota Supra
O Supra está para as pistas como o Celica para os ralis. Famoso pelas vitórias nos campeonatos de GT e pela participação na série Velozes e Furiosos. O Supra começou como uma versão do Celica, mas era herdeiro do 2000GT.

Toyota AE86 Sprinter Trueno
O canto dos cisnes de um dos carros mais meia-boca da história. O AE86 vinha com base na quinta geração do Corolla (E80) e com o 4A-GE 16v que equipava o Celica na época. É um dos esportivos mais humildes e respeitados do mundo automotivo. Ideal para provas de montanha, onde nas mãos certas, pegava até Skylines (se você já viu Initial D, sabe do que eu falo =P)

Deixe uma resposta