Team Aseptogyl

Bob Neyret, um ex-piloto de ralis e dentista, tem uma idéia depois de se retirar dos ralis em 1970. Criar uma equipe feminina de competições. E para batizar sua equipe, nada mais justo que um produto de sua criação! Surgiu então equipe Aseptogyl e seus famosos carros rosa.

Inicialmente participavam de eventos locais, mas com o tempo, corriam pela Europa. A equipe correu com inúmeros carros gr.4 e gr.2, como os Alpine A110 e A310, Lancia Stratos, FIAT 131 Diesel e 127, Peugeot 304 e 504, Autobianchi A112 e Citroën CX.



A equipe era a porta de entrada de muitas pilotos que corriam de forma privada. Pela Aseptogyl passaram grandes pilotos como Pat Moss-Carlsson, Lella Lombardi, Michele Mouton, Maurizia Baresi, Isabella Bignardi, Corinne Tarnaud, Christine Dacremont, Claudine Trautmann, etc.



Além de provas de montanha, com Alpine A360 de Fórmula 2 com Marianne Höpfner

Nos ralis, as meninas tinham bons resultados, terminando geralmente entre os 10 primeiros, e entre os primeiros da classe. Em 1977, Christine Dacremont terminou o Rali de Monte Carlo em sexto no geral, a classificação mais alta de uma mulher na prova na época.




A Equipe participava sempre de vários tipos de corrida, Le Mans, ralis, maratonas (Copa do Mundo Londres-Sydney de 1977, Dakar), subidas de montanha. E sempre com bons resultados.





Em 1977 e 1978 participaram das 24 horas de Le Mans, com um Stratos Gr.5 em 1977 e um protótipo WR-Peugeot P76 no ano seguinte.


Infelizmente, a equipe fechou as portas no final da temporada de 1979. Bob Neyret ainda fez um último esforço com suas meninas em 1983, quando inscreveu nada menos que 8 Alfasuds no rali de Monte Carlo daquele ano.
A editora Paquet lançou uma série de HQs usando a história da Aseptogyl como tema para a série Les Filles de l’Oncle Bob.

fontes: Speed Queens