Motores

Existem fãs que defendem seus carros, outro tipo defendem suas marcas favoritas…e um mais passional…os fãs de motores! Temos aqui 15 motores que possuem fãs bastante passionais

Ford Flathead V8
Um dos favoritos da galera hotrod, o bom e velho Flathead, inicialmente produzido entre 1932 e 1953, é o mais popular motor da Ford, além de o que tem o maior leque de opções de preparação e amplo material sobre ele, além de facilidade de manutenção devido a sua simplicidade de construção.

Ford-Cosworth BDA
Um clássico! Versátil e simples, o BDA era usado em inúmeras categorias, como Fórmula Ford, Fórmula 2, Fórmula 1 (Os Hart 415T eram versões turbo do Hart 420R, que por sua vez era baseado no BDA), WRC (Os lendários Escort RS e os RS200 usavam motores da família BDA.

SIMCA Emi-Sul
Na verdade, o Emi-Sul era uma versão do Flathead com kit de Cabeçotes com câmaras hemisféricas. Pode parecer truque de preparador, mas foi uma sobrevida que a marca deu aos V8 já defasados na época (década de 1960).

Chrysler HEMI
Os HEMI são as jóias da família MOPAR. Extremamente potentes e duráveis, iam desde o muscle car básico até um NASCAR sem muitas modificações. Devido ao domínio da Chrysler na NASCAR, as marcas concorrentes (Chevy e Ford) pediram a proibição do uso desse motores na categoria. Embora continuem dominando nas arrancadas.

Mitsubishi Sirius 4G63T
O 4G63 é o motor mais famoso da Mitsubishi, equipando desde os esportivos Eclipse até carros de competição como o Lancer EX Turbo, o Galant VR4 e o Lancer Evolution

Lancia-Abarth Triflux
Enquanto a Audi se fartava nos ralis com o Quattro e a Renault com o R5 Turbo, a Lancia desenvolveu o Triflux. Com um sofisticado sistema de sobrealimentação que unia um compressor volumétrico para mais potência em baixa rotação, e uma turbina para mais potência em alta rotação, soube unir o melhor de dois mundos…e o mais importante! Sem lag!!!

Ferrari Dino
O motor da discórdia, Vittorio Jano, Enzo e Dino Ferrari nunca chegaram a um consenso sobre como seria, então fizeram de várias configurações ao longo da produção. Outro ponto de discussão foi quando a Abarth extraiu mais 5 HP do que a Ferrari dizia ser o mais potente de seus motores…A briga foi tão feia, que Gianni Agnelli teve que intervir

Mazda 13B
O membro mais famoso da família rotativa Mazda, o 13B era o motor dos RX-7 e foi o primeiro wankel a ser usado em Endurance.

Alfa Romeo Twin Spark
O Twin Spark era inspirado nos carros de Grand Prix da Alfa Romeo, onde cada cilindro tinha um par de velas, posicionadas de forma simétrica e que faíscam com um pequeno intervalo, para otimizar a queima dos gases de combustão.

Volkswagen E-motor
Ferdinand Porsche manteve a simplicidade e robustez como princípios básicos para o Volkswagen, refrigerado a ar, para não ter problemas com temperaturas, e de construção quase rudimentar, fez do E-motor um dos motores mais fáceis de se mexer.

Chevrolet 250-S
Um L6 com porte de V8, o 250-S é um dos queridinhos das arrancadas e preparações Street no Brasil

Chevrolet LS
O LS surgiu para ser o V8 padrão Chevy, substituindo os LT e os big e small blocks. Popular e acessível, os LS equipam todas as picapes grandes e esportivos V8 Chevy. Além de serem usados em kustoms.

BMW M10
Obra-prima do Barão Alex von Falkenhausen, o M10 era um motor de construção versátil. Além de ser base para outros motores (principalmente alguns do Leste Europeu) o M10 foi usado nos protótipos e na Fórmula 1.

Ducati Desmoquattro
A Ducati é famosa por seus motores de válvulas desmodrômicas (não utilizam árvore de cames para regular a abertura), e a versão de quatro válvulas por cilindro dominou o cenário da Superbike durante a década de 1990. Nada mal para uma tese de seu criador, Massimo Bordi, nos tempos de faculdade.

MZ 125
Envolto em lendas e mistérios dignos de filmes de espionagem. Ernst Denger não só fugiu da Alemanha Oriental durante o campeonato mundial de motovelocidade (faltando uma etapa), ele repassou para a Suzuki, peças e projetos da MZ, sua ex-equipe! Com isso, acabou criando uma nova era no motociclismo, com o domínio das marcas japonesas e o fim da carreira da MZ em competições.

Deixe uma resposta