O maravilhoso mundo dos caças

Atenção: para melhor apreciação desse artigo, leia ouvindo Aces High (Iron Maiden), Mighty Wings (Cheap Trick), Me 262 (Blue Öyster Cult), 1100 (Ariya) ou qualquer música sobre combates aéreos. A leitura frequente da mesma os levará a uma vontade insana de jogar inúmeros simuladores de combate aéreos…

Tudo começou nos mil novecentos e antigamente…quando algum doente mental teve a idéia de botar turbinas a jato em aviões. A ideia deu certo, e com isso os chucrutes criaram o Messerschmitt Me262 “Schwalbe”, que apesar de ter capacidade de manobra semelhante a de um Top Fuel deu trabalho em alguns dogfights…mas os Spitfires e Mustangs eram mais ágeis. Nesse tempo, os bebedores de chá desenvolveram o Gloster Meteor para interceptar as bombas V1. Mas mal haviam começado a desenvolver caças a jato, a paz estourou em 1945…e os pássaros de guerra ficaram fazendo serviço de patrulha em seus países.



Caças de Primeira Geração (1945-1953)
Ao final da guerra a aviação deu um salto gigante, inclusive as aeronaves militares…os motores radiais a pistão foram aposentados e trocados por turbinas.
Aí veio a guerra da Coréia (sim, um assunto acaba puxando o outro mesmo ) e a coisa ficou mais trüe com aerodinâmica mais refinada com direito a asas enflechadas (MiG-15 e F-86 ) turbinas incorporadas ao corpo da aeronave (todos os q vieram depois do Me262 e Gloster Meteor). No conflito, inevitavelmente ocorreu o primeiro dogfight totalmente a jato, entre os MiG-15 e os F86 Sabre na área que foi batizada de Beco dos MiG…daí a coisa desandou de vez…

Caças da época

Messerschmitt Me 262

Gloster Meteor

Mikoyan-Gurievitch MiG-15

Republic F-84F Thunderstreak

North American F-86 Sabre

Caças de Segunda Geração (1953-1960)
Mas o que tinha de diferente entre esses caças e os anteriores? Tudo! a galera de engenharia estava muito inspirada nessa época, e surgiram asas de enflechamento variável, asas delta, as tomadas de ar dos motores foram gradualmente movidas do nariz para a lateral do cockpit, e agora possuiam afterburner (não o disco do ZZ Top, mas sistema de pós-combustão pra dar um gás numa fuga ou quando precisasse andar rápido) e alcançavam a velocidade do som.

Aí como todo mundo tinha uma biribinha atômica, aí os caças passaram a ser divididos como Interceptadores (os caças tradicionais) e os caça-bombardeiro (os que podiam levar bombas nucleares) e com a chegada dos últimos, os bombardeiros de verdade passaram a ficar guardados e só saírem do hangar quando desse A merda. Isso mudou muita coisa em como se combater…aquela coisa romântica de eras anteriores de combate leal etc…virou tudo coisa de viadinho…agora se o camarada aparece no teu radar tu solta uns mísseis guiados ou sensíveis a calor e pronto!

Alguns interceptadores dessa época

Mikoyan-Gurievitch MiG-21

English Electric/British Aircraft Corporation Lightning

SAAB 35 Draken

Lockheed F104 Starfighter ou Widowmaker segundo os poucos pilotos que sobreviveram a ele

Alguns caças-bombardeiros dessa época
Republic F105 Thunderchief

Sukhoi Su-7

FIAT G.91

Depois que descobriram que os caças a jato eram mais legais que os a pistão, aí veio a década de 60, mais uma porrada de conflitos…e a galera de engenharia começou a soltar a imaginação…

Caças de Terceira Geração (1960-1970)
A galera viu o que era bom, e descobriu que podia ficar melhor…começaram a mexer com conceitos refinados de aerodinâmica, como uso de canards, fuselagem com menos arrasto transônico…etc. E agora o bagulho ficou doido, começaram a incorporar aviônica analógica nos aviões no lugar dos controles e medidores antigos (uma curiosidade, os rednecks foram ispertos e se gabavam de ter caças com eletrônica transistorizada, e faziam pouco dos MiG que eram valvulados…mas caso um ataque nuclear acontecesse…os yankees iam ficar no chão e ainda haveria MiGs pelo céu )
Pilotar um caça a jato já não era a mesma coisa de um caça a pistão, vendo isso, os americanos criaram a escola TOPGUN (sim, a mesma do filme)…aí a coisa ficou mais séria

Os interceptadores e bombardeiros ganharam mais um amiguinho…o caça multi função!!! A McDonell Douglas surpreende com os F4 Phantom, um interceptador que tinha capacidade de carga maior que um B-24!!!!!!!!!!um!!1111!!!1onze!!!!!111!!!11!!!

Aviões cráááássicos dessa época

Interceptadores
SAAB 37 Viggen

Dassault Mirage III

Mikoyan-Gurievitch MiG-23

Tupolev Tu-128

Bombardeiros
Northrop F5 Freedom Fighter

Sukhoi Su-17

Multi-função
IAI Kfir (basicamente um Dassault Mirage melhorado )

McDonell Douglas F-4 Phantom

Caças de Quarta Geração (1970-1990)
Aqui estão todos os aviões que sempre babamos vendo Iron Eagle, Top Gun e filmes do tipo. Os caças de quarta geração eram uma revolução comparados aos 3G. Aviônica elaborada graças ao conceito fly-by-wire e sensores espalhados em volta do avião. Outra diferença é a manobrabilidade, agora esses ogros voadores bailam graciosamente como bailarinas…bailarinas armadas até os dentes!! E não é só isso!!! os caças 4G começaram a vir com empuxo vetorial (V/STOL – Decolagem curta ou vertical), supercruise (capacidade de voo supersônico sem usar afterburner) além de tecnologia stealth.
No final da década de 1990, surgiram os caças 4.5 G, um meio termo entre os caças de quarta e os futuros caças de quinta geração. além da evolução natural das tecnologias dos caças 4G, vinham com radar AESA (Antena com Escaneamento Eletrônico Ativo) e melhorias significativas na tecnologia stealth. Nisso, os famosos dogfights passaram a ser história. Viu um inimigo no radar, lança um ar-ar na direção dele, e pronto!
Um grupo padrão dessa época tinha: um esquadrão de superioridade aérea; um esquadrão de ataque e um esquadrão multifunção.

Superioridade aérea
Grumman F-14 “Tomcat”

Sukhoi Su-30

Ataque
Dassault Rafale

McDonnell Douglas F/A-18 “Hornet”

Multi-função
HAL Tejas

Sukhoi Su-27

Caças de Quinta Geração (2005-????)
A geração atual pode ser resumida em uma palavra: stealth. Caças desenvolvidos com formas especiais para diminuir ao máximo a assinatura de radar e com materiais compostos na fuselagem para minimizar ao máximo a possibilidade de ser detectado…ou seja, são praticamente tubarões, se você os vê, é porque eles já o viu faz tempo. Radares AESA multifunção; Empuxo vetorial mais elaborado, ampliando a capacidade de manobra a níveis extremos graças ao novo formato aerodinâmico; Motores mais potentes por conta do supercruise, já que o afterburner aumenta a assinatura de radar. Os caças 5G são caros pra ter e mais caros pra manter então só entram em campo quando a coisa fica MUITO séria.

Só o Lockheed Martin F-22 “Raptor” e o Sukhoi Su-47 “Berkut” representam essa geração, um caça de superioridade aérea stealth e um de demonstração de tecnologia.

Lockheed Martin F-22 “Raptor”

Sukhoi Su-47 “Berkut”

Deixe uma resposta