Safety Cars

Em 1973, o Safety Car foi introduzido na F1, embora tenha causado confusão no início, o carro entrou no meio do pelotão levando a problemas na hora de contabilizar o resultado da prova, só retornou 20 anos depois após a FIA resolver retomar o pace car como medida de segurança nas provas.

Porsche 914/6 GT

O primeiro carro a ser utilizado como Safety Car na Fórmula 1, o Porsche 914 era carro de resgate, segurança e médico no mesmo veículo. Geralmente ficavam três modelos em pontos estratégicos da pista para melhor atendimento.

Lamborghini Countach 5000

No início da década de 1980, o Grande Prêmio de Mônaco contava com alguns Lamborghini Countach como carros de apoio. Simplesmente, um luxo!

Renault Clio Williams

Em 1996, o Renault Clio Williams foi o carro de segurança da F1 até o início da relação com a Mercedes-Benz, que fornece os carros de serviço até hoje.

Chevrolet Marajó

O carro de segurança do Grande Prêmio do Brasil de 1986 chamava a atenção por ter um rendimento maior que o do modelo original. O segredo era a troca do trem de força original pelo do Opala 250 de 6 cilindros, além de reforços estruturais na carroceria (o motor entrava 30 cm da cabine) e suspensão, com molas de Opala e amortecedores recalibrados. Outro fator interessante é que o carro não era um modelo atual, sendo um modelo de entre 1981 e 1982! Calçando pneus especiais (Pirelli CN 36, dos carros do Brasileiros de Marcas até 84, 175/70 SR 13), o carro feito pelo José Fernando Lopes Martins, lendário Toco, chegava a 180 km/h e 0-100 em 9,4 segundos. Uma boa receita pra um restomod… just sayin’ 😉

Ford Escort XR3 Pace Car

Em 1984, a Ford aproveitou o Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1 para divulgar a versão esportiva do Escort no Brasil, o XR3 e lançou a rara versão Pace Car, que contava com opcionais estéticos replicando o XR3 modificado para ser o carro de segurança da Fórmula 1 em Jacarepaguá.

Opel Vectra 4×4 Turbo

Após experiências em 1992 e 1993, a FIA reintroduziu o Safety Car em 1994 oficialmente. Sendo o Opel Vectra 4×4 Turbo o modelo escolhido.

Porsche 911 GT2 Cup

Em 1995, Opel Vectra não era considerado rápido suficiente para ser utilizado nas pistas, e em algumas provas, um Porsche 911 GT2 era utilizado para guiar os monopostos.

Toyota Supra Turbo

A Toyota patrocinava os GPs dos EUA no final dos anos 70 e início dos anos 80 na F1 e fornecia os carros de serviço da prova. Sendo um par de Celicas MA46 em cada pista. Cada um com motor 4ME turbinado com 220 HP, embreagem especial, amortecedores a gás, molas recalibradas, pneus bridgestone de competição e todos os acessórios de segurança e monitoramento de pista da época. Além do nome impresso no parachoque, ao contrário dos Celica de produção normal.

Datsun 280 ZX Turbo

A Nissan patrocinou o breve Grande Prêmio de Las Vegas de F1, fornecendo os carros de serviço, uma versão especial do Datsun 280ZX Turbo.

Mercury Capri

O Pace Car do GP de Detroit em 1985, o Mercury Capri era uma modelo baseado no Ford Mustang Fox preparado pela Ford Motorsport com auxílio da Roush para ditar o ritmo dos F1 da era turbo nas ruas de Motor City.

Ferrari 348

Embora seja utilizado somente em provas italianas, o 348, presente de Gerhard Berger à CEA (empresa responsável pela segurança nas corridas italianas), em agradecimento ao rápido atendimento prestado em seu acidente no GP de San Marino em 1989.

Lamborghini Diablo

O último carro de segurança não padronizado na F1, o Diablo foi o Safety Car do GP do Canadá em 1995. Foi o último Lamborghini a servir como carro de segurança da Fórmula 1.

Fiat Tempra 2.0 16v

Assim como o Escort XR3, o lançamento do FIAT Tempra 2.0 16v foi motivo de ser o carro de apoio oficial do Grande Prêmio do Brasil de 1993, sendo famoso pelo “resgate” de Ayrton Senna da reta oposta após a multidão invadir a pista no final da corrida para comemorar a vitória do brasileiro em casa.

Ford Escort RS Cosworth

Durante 20 anos, os carros de intervenção variavam de acordo com o país do Grande Prêmio. Em 1993, a FIA retornou oficialmente com o carro de segurança na Fórmula 1, fazendo alguns testes com modelos esportivos. Um dos primeiros carros a serem testados, foi o Escort RS Cosworth no GP de Silverstone.

Honda Civic Type-R

No início de 2006 a Honda aproveitou que a produção do Civic Type R retornaria para Suzuka (além da Inglaterra, onde a segunda geração era fabricada) e o lançamento da terceira geração da famosa versão esportiva, anunciou que iria utilizar como carro oficial do Grande Prêmio do Japão, o protótipo da terceira geração do Civic Type-R, que seria lançada no ano seguinte.

Deixe uma resposta