Jipes: JPX Montez

O JPX Montez na verdade era uma versão brasileira do Auverland A3, modelo que forncecia várias partes em comum, como motor, transimissão e eixos. Sendo fabricados no Brasil a carroceria, chassi, e algumas peças que eram compartilhadas de outros carros. Foi fabricado de 1994 até 2001, tendo algumas modificações como instalação de turbo no motor para ganhar mais potência, já que o motor original era fraco demais para o carro, o que ocasionou superaquecimento no carro, isso somado à falhas de comunicação entre a fábrica e os concessionários resultaram em uma reputação negativa do carro, sendo chamado de “Chaleira de trilha” e também acarretando em ações movidas contra a empresa. Os problemas de aquecimento foram sanados no modelo de 2000, mas a JPX já estava em crise.

Jipes: ENGESA E4

Foi o primeiro jipe brasileiro, a ser produzido em escala, sendo substituto dos Jeep Willys/Ford em uso nas forças armadas. Fabricados entre 1986 até 1988 (Fase 1) e, de 1988 até 1993(fase 2 e 3, também conhecido como Jordânia), pela ENGESA, uma fábrica especializada em veículos militares, e por isso, era muito robusto e confiável. Após a falência da ENGESA no início dos anos 90 por problemas econômicos, em 1998 dois empresários compraram algumas carrocerias, e o ferramental da produção para criar o Envesa (uma versão moderna do E4), além se servir de inspiração para o Agrale Marruá. O que prova o quão amado e querido esse 4×4 é pelos jipeiros brasileiros.

Carros de Competição: Audi Quattro

Hoje, nessa série, falaremos de carros 4×4 de competição, e na inauguração falaremos do Audi Quattro, o carro que revolucionou o mundo dos ralis no final da década de 70 incorporando tração integral, e contrariando a opinião dos adversários, que achavam que o carro seria lento e de mecânica complexa para um carro de rali da época, ele estabeleceu um novo padrão para os carros futuros, sendo rápido suficiente para falarem que a diferença entre ele e seus concorrentes deveria ser medida com um calendário, e não um cronógrafo. e após o fim do Grupo B, a Audi se deslocou para outras competições, como a subida de montanha de Pikes Peak, rali Dakar.

Jipes: FIAT Campagnola

Hoje, falaremos sobre o FIAT Campagnola, foi fabricado entre 1951-1973, com inspiração no Jeep Willys e, sua versão revisada, o Nuova Campagnola, baseado no Land Rover inglês, entre 1974-1987.
Era rival do Alfa Romeo Matta no mercado italiano, mas rapidamente o superou, por ser mais barato e pelo fato do Matta ter ficado pouco tempo em produção. Assim como muitos outros Jipes, foi utilizado como veículo militar (com a designação ARXX, de Autoveicolo da Ricognizione mais o ano de entrada em serviço) e em algumas competições.
Em 1951, um Campagnola de série, concluiu a travessia de Argel até Cidade do Cabo em 11 dias, 4 horas e 54 minutos, um recorde ainda em vigor.

Jipes: UAZ 469/Hunter

O Jipe de hoje, é o UAZ 469, similar soviético para o Jeep, tanto em durabilidade quanto em sucesso com os jipeiros, tanto os do Leste quanto os do Oeste Europeu, onde assim como o Lada Niva, fez bastante sucesso. Lançado em 1973, era um substituto do GAZ 69 utilizado desde a década de 1950 pelo Exército Vermelho, e continua sendo produzido sendo renomeado Hunter, e tendo uma legião de fãs semelhante ao Jeep e ao Land Rover Defender.

Jipes: Lada Niva

Olá pessoal, no segundo post da série Jipes, falaremos do Lada Niva, famoso por ser um modelo barato e robusto, servindo de acesso para o mundo 4×4 para muitos. Participou de muitas provas de Off-Road tendo inclusive um segundo lugar no Rally Dakar de 1983. fabricado de 1976 até hoje, passou por praticamente duas alterações significantes, uma onde sua parte traseira foi redesenhada ganhando novas lanternas e ganhando um motor 1.7 com injeção em 1998 e em 2003 ganhando um novo desenho sendo fabricado pela GM-AvtoVAZ (uma joint-venture da General Motors com a Lada) dedicado para o mercado externo sendo vendido como Chevrolet Niva.

Jipes: UMM Alter

O jipe de hoje é o UMM Alter, um português, fabricado pela União Metalo-Mecânica (UMM) com um visual que lembra o nosso CBT Javali. participou de inúmeras edições do Rally Dakar e outras competições internacionais, além de servir de base para a maioria dos pilotos de rally portugueses. fabricado de 1985 até 1994, vinha equipado com um motor Peugeot 2.5 Diesel.