Moskvitch 412 Rallye

O Moskvitch 412 foi o substituto dos 408 da AvtoExport, e teve uma carreria vitoriosa porém um pouco apagada.

 

Com participações em algumas provas famosas como no Rally de Monte Carlo (Mônaco), 1000 Lakes (Finlândia), onde aparecia com mais freqüência, Rally Acropolis (Grécia) e no rali Safari (África do Sul) onde foi terceiro. Além de ser eventualmente o carro a ser batido no campeonato soviético de ralis. Sua fama mundial veio com as participações nas maratonas como o Londres-Sidney em 1968, onde a equipe russa foi a segunda colocada, o Londres-Mexico em 1970, terminando em 12º dos 23 carros restantes, além do Tour de Europe de 1971, onde segundo informações locais ganhou o evento, mas as fontes são diferentes das fontes ocidentais. Seu motor, baseado no BMW 1500, se tornou um dos melhores motores fabricados pela União Soviética na época, sendo usado como base para monopostos.












 

imagens: sovietrally.ru

FSO Polonez 2500 “Stratopolonez”

O FSO Polonez foi um carro muito curioso, de longe era o mais potente carro da “Cortina de Ferro”. Em 1977 após um acidente com o filho do Primeiro-Ministro, Andrzej Jaroszevicz no Rali da Polônia, a bordo de um Lancia Stratos, o fez perder a prova enquanto liderava.

O carro teve danos estruturais, mas a mecânica intacta, foi mandada para o departamento de pesquisas da FSO. Que mais tarde desenvolveu uma versão de corrida do Polonez, usando toda a parte mecânica do Lancia Stratos. O carro era literalmente um lobo em pele de cordeiro. Para resolver problemas de tracionamento, usaram pneus mais largos na traseira. O carro enfrentava os rivais mais evoluídos, como Porsche 911, Renault 5 Turbo, e Kadett GTE. Mas havia um problema, o carro era fraco estruturalmente para um motor tão forte, com 285HP além de ter problemas de distribuição de peso. Tinha tendência a rodar com extrema facilidade. Em 1985 foi para o Museu de Tecnologia de Varsóvia e em 2000 foi restaurado.








fonte: Wirtualna Polska Moto