Fierros

Fierro é uma expressão argentina para carros de performance mais acentuada.  Temos aqui 15 fierros clássicos hermanos

IKA- Renault Torino 380W

O Torino ganhou destaque após o bom resultado nas 84h de Nürburgring, onde os três carros feitos na Argentina enfrentaram de igual para igual os favoritos europeus (Triumph, BMW, Lancia, etc). O carro preparado por Oreste Berta a pedido de Fangio era baseado no modelo

Continuar lendo Fierros

Ford Experimental Research

A sigla XR, foi uma das mais emblemáticas para identificar versões esportivas dos modelos Ford, junto com as siglas, RS, SVT, ST, etc. Temos aqui 15 modelos da série XR que marcaram a história da Ford.

Mercury Cougar XR7

O primeiro carro do Grupo Ford a usar a sigla, foi o Mercury Cougar XR7, que era uma alternativa ao Thunderbird, da Ford, sendo um pony car com acabamento mais luxuoso. Sendo disponibilizado por 30 anos (1967 até 1997) foi o modelo mais longevo a usar a sigla.

Continuar lendo Ford Experimental Research

VWs Especiais

EMPI GTV
Joe Vittone era dono de uma pequena fábrica de acessórios para VWs desde 1954, e em 1966, comprou uma revenda Volkswagen-Porsche na Califórnia. Juntando a fome com a vontade de comer, vendia seus kits de veneno e acessórios para quem pagasse por eles. O negócio cresceu a ponto da VW America ameaçar não entregar mais carros para as concessionárias que vendiam os kits EMPI como opcionais.

Continuar lendo VWs Especiais

Esportivos FIAT

A FIAT tem um histórico de carros populares e alguns deles tiveram versões bem apimentadas. Reunimos aqui 15 das melhores versões esportivas da marca.

FIAT Uno Turbo

Lançado em 1985 para brigar com o Ford Fiesta XR2, MG Metro Turbo e Peugeot 205 GTI, o Uno Turbo i.e. foi a primeira versão esportiva do FIAT Uno, usando uma versão turbinada do motor 1.3 originária do FIAT Ritmo. 9 anos depois, a FIAT do Brasil lançou a própria versão do modelo, substituindo o 1.6 R mpi.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Continuar lendo Esportivos FIAT

Williams Grand Prix

2017 marca os 40 anos da equipe de Frank Williams, embora tenha começado como Frank Williams Racing Cars entre 1969 e 1975, se estabeleceu como um dos maiores construtores da Fórmula 1, quando reabriu a equipe com seu novo sócio e parceiro Patrick Head em 1977, como Williams Grand Prix Engineering.

MG Metro 6R4

A British Leyland era patrocinadora da equipe e encomendou uma versão Gr.B de seu modelo popular, o Austin Metro. Em 6 meses a Williams entregou uma versão com motor central V6 3.0 aspirado baseado no Cosworth DFV da F1 e tração 4×4. Teve um início promissor, pena a categoria não ter durado muito. Foi utilizado em provas de rallycross e o motor foi aproveitado no Jaguar XJ220.

Continuar lendo Williams Grand Prix

Safety Cars

Em 1973, o Safety Car foi introduzido na F1, embora tenha causado confusão no início, o carro entrou no meio do pelotão levando a problemas na hora de contabilizar o resultado da prova, só retornou 20 anos depois após a FIA resolver retomar o pace car como medida de segurança nas provas.

Porsche 914/6 GT

O primeiro carro a ser utilizado como Safety Car na Fórmula 1, o Porsche 914 era carro de resgate, segurança e médico no mesmo veículo. Geralmente ficavam três modelos em pontos estratégicos da pista para melhor atendimento.

Continuar lendo Safety Cars

Gr.A

O Grupo A começou sendo um degrau abaixo dos poderosos Grupo B de rally e como substitutos para os carros de turismo modificados (Grupo 2) na classificação FIA. Mas, com o fim dos Gr.B em 1986, foi promovido ao topo da cadeia alimentar.

Lancia Delta HF Integrale
Em 1986, a Lancia perdeu o título mundial para a Peugeot. A resposta? 6 mundiais consecutivos com o Delta HF (1987-1992). Até hoje considerado um dos melhores carros do WRC do todos os tempos.

Continuar lendo Gr.A

Audi Sport

Com o encerramento do programa de endurance da Audi, além de uma mudança de foco para os carros elétricos, vamos relembrar os 15 carros mais icônicos da marca de Ingolstadt no automobilismo.

Audi R8R (R8)

Em 1997, a Audi Sport pensava em se retirar do automobilismo, a tarefa de Wolfgang Ulrich na época era mostrar que a marca ainda podia chegar mais longe. Com uma mãozinha de Ferdinand Piëch e aproveitando que a equipe de Reinhold Jost estava procurando uma nova marca para se associar depois da separação da Porsche, iniciaram o programa de resistência. Aproveitando o know-how de um projeto já existente da Porsche, o 9R3, que foi abortado e em contrapartida, a Audi passou o know-how do sistema quattro para a Porsche desenvolver um SUV.
Continuar lendo Audi Sport

Fórmula 1

Em 62 anos, a F1 se estabeleceu como o ápice do automobilismo e nesse tempo, muitos carros se destacaram tanto por inovações tecnológicas quanto por serem bem eleborados. Temos aqui 15 carros que marcaram a F1 ao longo dos anos.

Ferrari 312T
Mauro Forghieri criou um modelo simples, limpo e que poderia evoluir mecanicamente de acordo com o regulamento e inovações futuras. O 312T entrou em ação em 1975 e se mostrou um carro competitivo até 1980, onde não era páreo para os turbos e os carro-asa. Nesse período, angariou 4 títulos de construtores (1975, 1976, 1977 e 1979) e 3 de pilotos (1975 e 1977 com Lauda e 1979 com Scheckter).

Continuar lendo Fórmula 1

Caminhões Militares

Embora tudo isso tenha começado com um blog sobre veículos 4×4 e militares há uns 4 anos atrás, temos aqui uma lista de 15 caminhões militares. Qual a diferença? Bem, são maiores, carregam mais tralha (2,5t contra 1/4t), motores multicombustível (alguns aceitam desde combustível de avião até óleo de fritura!) e tem um eixo motriz a mais…hehehehehe.

ENGESA EE-25
O caminhão militar EE-25 foi um dos produtos mais populares, exceto os blindados da ENGESA. sendo usado pelo Exército Brasileiro e exportado para países da África e Oriente Médio. Vinha com uma gama de motores diesel, desde Chrysler, Perkins, até os Mercedes-Benz. Inicialmente era 4×4, mas foi transformado em 6×6 com suspensão boomerang.

Continuar lendo Caminhões Militares