Jipes: Mercedes Benz G-Klasse/W460

Criado pela Mercedes Benz sobre a alcunha de Geländenwagen (G-Wagen, ou G-Klasse) como modelo militar no final da década de 1970, e a versão civil foi posta à venda em 1979 e é fabricado na Áustria em parceria com a Puch. Serviu de base para o Peugeot P4. E teve um grande sucesso nos Estados Unidos e na Europa tanto como veículo militar e civil, sendo usado pelas forças armadas de vários países. Embora seja um modelo fora de estrada, ele mantém o padrão de luxo característico dos modelos da marca.

Carros de Competição: Porsche 959

O Projeto do Porsche 959 começou para ser um carro de corridas do Grupo B, mas embora não tenha conseguido a homologação em tempo hábil para participar do Mundial de Rallys, já que o Gr.B foi cancelado em 1986, Além dos custos de participar de toda a temporada que eram altos, impediram da Porsche entrar no WRC de forma efetiva. Mas o carro foi utilizado no Mundial de Todo-Terreno com sucesso. Em 1984 no Dakar, a fabricante alemã inscreveu 3 modelos 911 modificados com as especificações do 959 como teste. No ano seguinte, os três 959 abandonaram, mas em 1986 fizeram dobradinha e a Porsche dominou a competição até a chegada dos Peugeot na Década de 90.
Nas pistas, a versão de endurance, o Porsche 961 começou bem com um 7º geral (1º na classe) nas 24H de Le Mans de 1986, mas em 1987 tiveram péssimos resultados, e acabaram sendo retirados de competição.

Carros de Competição: Renault R4 Sinpar

O simpático modelo R4 teve a honra de ser um dos primeiros carros a correr no Rally Oasis (mais conhecido como Paris-Dakar) no começo da competição, em 1979. Basicamente era um Renault R4 com um sistema de tração 4×4 feito pela Sinpar e alguma preparação para aguentar uma competição dura como o Rally Dakar. Foi fabricado como uma versão do Renault R4 entre 1962 e 1991, sendo utilizado no serviço público francês (Correios, Forças Armadas, Polícia, etc.) com bastante sucesso.
Nas competições teve relativo sucesso como um segundo lugar nos automóveis (5º no geral) no Dakar de 1979 e um segundo lugar geral nos automóveis em 1980. Além de ser usado em outras competições, como a Copa Renault Cross Elf.

Jipes: AM General Hummer H1

O Hummer H1 foi a versão civil do modelo militar HMMWV, mais conhecido como Humvee, fabricado inicialmente pela AM General, uma fornecedora de veículos militares para o exército norte-americano, seus direitos de produção (do modelo civil) foram repassados para a General Motors, que transformou em uma marca própria em 1999. O H1 foi fabricado entre 1992 até 2006, sendo susbtituído pelo modelo H2 em 2003, com um desenho mais apropriado para um SUV urbano. Vinha com motores GM Diesel de 5.7cc até 6.5cc e câmbio automático de 3, 4 e 5 marchas. O H1 era basicamente o HMMWV com um acabamento e pintura de um carro civil. Devido ao aumento do preço dos combustíveis nos EUA e o desenvolvimento de carros menos poluentes, somado à baixas vendas, podem acabar com a marca.

Jipes: Gurgel Carajás

O Gurgel Carajás foi um modelo 4×2 que encarava trilhas como um 4×4 graças ao sistema Seletraction, que transferia a a força da roda atolada para a outra roda. Outra inovação foi o deslocamento da caixa de marchas para a traseira do carro, enquanto o motor ficava na frente, dando uma distribuição de peso de (50-50), e utilizando o sistema TTS (Tork Tube System) para transmissão da força do motor à caixa de marchas, o sistema era basicamente um eixo cardã envolto em um tubo de proteção. Foi fabricado entre 1984 até 1991, onde a abertura das importações fizeram com que muitos projetos nacionais sucumbissem diante de modelos importados de até a mesma faixa de preço.

Jipes: CBT Javali

O CBT Javali foi o segundo carro totalmente criado e desenvolvido no Brasil, o primeiro foi o Gurgel BR-800. Fabricado pela Companhia Brasileira de Tratores (CBT), entre 1990 até 1994.
Por ser um projeto próprio da fábrica, o carro acabou sendo muito custoso pra CBT e em 1995 ela faliu. O Javali tinha mecânica dos tratores da fábrica e com isso tinha seus defeitos (barulho e fumaça em excesso) e qualidades, como motor turbo diesel próprio (que facilitava em trilhas mais pesadas).

Jipes: Volkswagen Typ 181

Baseado no antigo Typ 82 “Kübelwagen”, o Typ 181, foi renomeado como Kurierwagen, Trekker, Thing e Safari. Mecanicamente era a mesma coisa…um carro fora-de-estrada com mecânica do VW Sedan. Logo se tornou um modelo “cult”, e enquanto o projeto Europa Jeep era desenvolvido, ele foi escolhido para ser uma opção temporária até o carro ficar pronto. Foi fabricado entre 1968 até 1980(versão civil) e até 1983(versão militar), sendo susbtituido pelo VW Iltis (tanto no mercado, quanto na OTAN).

Carros de Competição: Citroën ZX Rally Raid

Com o fim do Grupo B em 1986, muitos fabricantes passaram a utilizar seus carros em outras competições, e o Campeonato Mundial de Todo-Terreno foi uma espécie de lar para esses carros. O Citroën ZX Rally Raid, também conhecido como ZX Monster, foi desenvolvido em 1990 pela Citroën, após os sucessos da Porsche com o 959 e da Peugeot com os 205 e 405 t16, e nos sete anos em que competiu (1990-1997), ganhou quatro vezes o Dakar (1991, 1993,1994,1995) e foi tetracampeão do Mundial de Todo-Terreno (1993,1994,1995,1996).

Jipes: Citroën Méhari

O Citroën Méhari, fabricado de 1968 até 1988 e, era um projeto baseado no Citroën Dyane, uma versão moderna do clássico 2CV, era um jipe bastante simples, com carroceria de plástico ABS, motor do Dyane com potência aumentada. Era um veículo bem espartano em sua concepção, sua carroceria era formada por 13 peças no total. Entre 1980 e 1983, foi fabricada a versão 4X4.

Jipes: Peugeot P4

Com uma história semelhante à do VW Iltis, o Peugeot P4 surgiu de uma licitação para um veículo militar para substituir os antigos Jeep do exército francês. Assim como os projetos concorrentes, Citroën C44 (um VW Iltis com motor do Citroën CX), Renault TRM500 (um FIAT Nuova Campagnola com motor do Renault R20), o Peugeot P4 era uma parceria da Peugeot com a Mercedes (fabricante do G-Wagen), com uma carroceria semelhante à do modelo alemão, com a frente semelhante à dos modelos 505, de onde vinha a motorização. Fabricado de 1978 até 1992, foi também utilizado no Dakar como veículo de assistência de alguns fabricantes franceses e como competidor no final da década de 80 até o final de sua produção.